sábado , 24 fevereiro 2024
Home / Destaque / Brasil no G20: país fica atrás no quesito segurança

Brasil no G20: país fica atrás no quesito segurança

O Brasil, atualmente à frente do G20, grupo formado pelas principais economias do mundo, encontra-se em uma posição delicada em termos de segurança pública, ficando atrás de grande parte dos países membros e convidados, conforme revela um estudo da Firjan (Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro). Por outro lado, o país mostra-se promissor no âmbito da transição energética, destacando-se entre os líderes.

A análise feita pela Firjan coloca o Brasil em uma situação preocupante, na 25ª posição entre 27 nações avaliadas em segurança pública. Este resultado reflete dados alarmantes como a taxa de homicídios e a percepção de segurança pela população. Com apenas 48% dos brasileiros se sentindo seguros à noite e uma taxa de 22,38 homicídios por 100 mil habitantes, o país atinge somente 34% das metas de segurança estipuladas pela ONU.

Segundo o gerente de Infraestrutura da Firjan, Isaque Ouverney, a importância de abordar tanto a criminalidade objetiva quanto a sensação subjetiva de segurança. Ressalta-se a necessidade de uma abordagem integrada para melhorar esses índices, envolvendo todas as esferas de governo e ações de conscientização da população.

Reflexo nos investimentos

A segurança pública não é apenas uma questão social, mas também um fator crucial para a competitividade econômica. Regiões com baixos índices de segurança enfrentam dificuldades em atrair e reter investimentos, afetando diretamente a geração de empregos e o desenvolvimento econômico. De acordo com Isaque Ouverney, há a necessidade de políticas integradas e ações legislativas para combater o mercado ilegal e promover a segurança.

Liderança em transição energética

Em contraste com os desafios na segurança, o Brasil se destaca positivamente no ranking de oportunidades de transição energética. Com 87% de sua capacidade elétrica proveniente de fontes renováveis e uma matriz energética diversificada, o país alcança 90,6% das metas dos objetivos do milênio da ONU. Ouverney enfatiza o papel do Brasil na vanguarda da transição energética e a necessidade de modernização e aperfeiçoamento legal para a expansão de novas fontes de energia.

Fonte:Repórter Ceará – Economic News Brasil

Sobre Sertão Midia

Veja Também

Gretchen recebe alta após cirurgia para retirada do útero: ‘Sem dor’

Após passar por uma cirurgia para a retirada do útero, Gretchen passa bem e já está de ...

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.