segunda-feira , 27 maio 2024
Home / Destaque / Celular de George Washington revela que parlamentares estavam cientes de intentona golpista

Celular de George Washington revela que parlamentares estavam cientes de intentona golpista

Mensagens encontradas pela Polícia Civil do Distrito Federal no celular do militante bolsonarista e armamentista George Washington de Oliveira Sousa colocam parlamentares bolsonaristas como o deputado federal Elieser Girão (PL-RN) e o senador Eduardo Girão (Novo-CE) na “cena do crime”, uma vez que em trocas de mensagem com o terrorista, tomaram ciência dos planos de ações violentas para abolir o Estado Democrático de Direito. O conteúdo que foi enviado à CPMI dos Atos Golpistas e o dono do celular, George Washington, além de ter tentado explodir uma bomba no aeroporto de Brasília na véspera de Natal, também falou sobre outras ações violentas, como um suposto assassinato de Lula por meio de um atirador sniper. Mesmo sabendo dos planos do militante, os parlamentares não avisaram as autoridades até onde se sabe.

As novas mensagens foram reveladas pela jornalista Denise Assis, do Brasil 247. Nelas, George cobra do deputado, que se identifica como general Girão, a liberação da ação de CACs (caçadores, atiradores e colecionadores de armas) nas ações golpistas.

“General Girão, vão esperar até quando para acionar os CACs? Têm CACs prontos. Acione, general! Coloque-os em treinamento militar intensivo. Temos muitos fuzis a disposição, não nos deixe sair como bandidos”, escreveu George Washington em 11 de dezembro de 2022 para Eliéser Girão. No dia seguinte foi registrado a primeira arruaça em Brasília, quando golpistas incendiaram a capital contra a diplomação do presidente Lula (PT).

Eliéser, durante uma manifestação pública, chegou a afirmar em megafone para golpistas mobilizados na capital que colocassem “os sapatinhos na janela, pois teremos novidades no Natal”. A novidade, no caso, aparentemente seria a explosão do aeroporto que, segundo George Washington, geraria um caos social na capital e seria o estopim para uma “intervenção federal” no Judiciário e na Segurança Pública, que permitiria a Bolsonaro, hoje inelegível, driblar o resultado das eleições e permanecer no poder. Mas deu errado, e agora George Washington “saiu como bandido”, conforme temia na conversa com o parlamentar.

Na última sexta-feira, 7, o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal, determinou que um inquérito fosse aberto para investigar a possível participação do general Girão como incitador dos atos golpistas de 8 de janeiro.

George Washington também falou com o senador Eduardo Girão, que hoje é membro da própria CPMI dos Atos Golpistas. Ele cobrava a “ativação” de CACs no golpe de estado, sobretudo em um momento que os setores mais radicais do bolsonarismo ventilavam um possível assassinato de Lula com a utilização de snipers.

“Vão esperar até quando para ativar os CACs como força de reserva? Tem muito CAC atirador sniper”, escreveu George Washington para Eduardo Girão no mesmo 11 de dezembro. Aparentemente Girão não o respondeu, mas tampouco avisou as autoridades sobre os planos do extremista.

Para além do apelo aos parlamentares em relação a atuação dos CACs no golpe, as mensagens ainda apontam conversas de George Washington em que foi planejada a implantação da bomba com um contato identificado como Ricardo Adesivaço Xinguara. Termos como “missão” e “caminhão” são frequentes nas trocas de mensagens. As revelações apontam para uma organização mais sofisticada dos atos golpistas – desde os bloqueios de rodovias, acampamentos, arruaças na capital e planejamento de atentados a bomba – e contrariam a narrativa bolsonarista de que tais mobilizações teriam sido “orgânicas” e “espontâneas”. Para ter acesso com conteúdo completo das novas mensagens reveladas, clique aqui.

Fonte:Repórter Ceará – Revista Fórum (Foto: PC-DF)

Sobre Sertão Midia

Veja Também

Faustão recebe alta após 47 dias internado, mas seguirá sob orientações médicas

Após 47 dias de internação, Faustão, como é conhecido Fausto Silva, recebeu alta hospitalar nesta sexta-feira (12). O ...

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.