sábado , 24 fevereiro 2024
Home / Destaque / Gravidez x câncer: o que precisa ser feito para ter uma jornada tranquila após finalizar o tratamento contra a doença

Gravidez x câncer: o que precisa ser feito para ter uma jornada tranquila após finalizar o tratamento contra a doença

Mulheres em todo o mundo estão descobrindo que é possível conceber e dar à luz a um filho saudável, mesmo após passarem por um tratamento contra o câncer. Situação que pode acontecer também com homens que recebem um diagnóstico e mesmo assim, desejam projetar uma família com filhos biológicos.

Atualmente as formas mais utilizadas para tratar a doença, envolvem a quimioterapia, a radiologia e a cirurgia e embora certos métodos possam afetar a fertilidade de alguns pacientes, existem opções que podem contribuir com a realização desse sonho.

De acordo com a oncologista clínica do Oncocentro/Rede D’or e CRIO, Dra. Luciana Campos, é muito importante que o paciente converse com o médico a respeito dos seus desejos, incluindo a vontade de ser mãe ou pai. “É muito comum o paciente chegar no consultório e só falar de tratar a doença, o que é correto. Mas em meio a tensão e ansiedade, é fundamental que tudo seja esclarecido. A vontade de ter filhos é uma questão que não pode ser escondida, pois quando a pessoa pretende engravidar, ela precisa mencionar esse desejo para que sejam tomados alguns cuidados, como antes de iniciar uma quimioterapia, que é um tratamento que pode afetar a fertilidade dos pacientes”, afirma a médica.

Ainda segundo Luciana, antes do tratamento contra o câncer, muitas mulheres têm a oportunidade de preservar sua fertilidade através do congelamento de óvulos ou tecido ovariano. “Essas opções oferecem esperança e a possibilidade de realizar o desejo de ser mãe no futuro. Assim como no caso dos homens que também podem fazer o congelamento de sêmen”, explica.

Além disso, avanços na área da medicina reprodutiva, como a fertilização in vitro (FIV) e a doação de óvulos, permitem que muitas mulheres superem os desafios de conceber após o câncer. Essas opções oferecem às sobreviventes a oportunidade de criar uma família e experimentar a alegria da maternidade.

No entanto, a gravidez após o câncer não é apenas uma jornada física, mas também emocional. Muitas mulheres enfrentam medos e preocupações durante essa fase. A possibilidade de uma recidiva, os efeitos colaterais do tratamento e a preocupação com a saúde do bebê são questões que podem causar ansiedade. Mas como esclarece a oncologista, “não há nenhum risco para o bebe após o tratamento de câncer. Em alguns casos, existem mulheres que mesmo estando grávidas continuam fazendo o tratamento, o que não é muito indicado. Mas como cada caso é um caso, o que acaba se tornando primordial, é que essas mulheres recebam um apoio adequado, tanto médico quanto emocional, durante todo o processo da gravidez. A atenção de familiares também contribui bastante para que haja tranquilidade durante todo esse período”, afirma Campos.

Segundo estudos elaborados por especialistas oncológicos, o tratamento contra o câncer de mama, por exemplo, pode causar infertilidade nas mulheres em pelo menos 40% a 50% dos casos. Mas vale reforçar que essa análise pode mudar de acordo com a idade da paciente e os procedimentos realizados. Mulheres mais jovens têm mais chances de conseguir recuperar a fertilidade natural e assim, conseguir ressignificar os dias difíceis em uma jornada única e especial.

Fonte:Repórter Ceará

Sobre Sertão Midia

Veja Também

Gretchen recebe alta após cirurgia para retirada do útero: ‘Sem dor’

Após passar por uma cirurgia para a retirada do útero, Gretchen passa bem e já está de ...

DEIXAR UM COMENTÁRIO

Política de moderação de comentários: A legislação brasileira prevê a possibilidade de se responsabilizar o blogueiro ou o jornalista responsável por blogs e/ou sites e portais de notícias, inclusive quanto a comentários. Portanto, o jornalista responsável por este Portal de Notícias reserva a si o direito de não publicar comentários que firam a lei, a ética ou quaisquer outros princípios da boa convivência. Não serão aceitos comentários anônimos ou que envolvam crimes de calúnia, ofensa, falsidade ideológica, multiplicidade de nomes para um mesmo IP ou invasão de privacidade pessoal e/ou familiar a qualquer pessoa. Comentários sobre assuntos que não são tratados aqui também poderão ser suprimidos, bem como comentários com links. Este é um espaço público e coletivo e merece ser mantido limpo para o bem-estar de todos nós.